Descompasso

terça-feira, 21 de setembro de 2010

A salmoura da saudade
solta um fio de esperança.
O novelo da ansiedade
no desenlace da infância.
Desnudam lagos e rios
meu tempo é de navagar
por rumos,novos desvios,
espasmos de luz no olhar.

A boca da liberdade
libera o pólen da vida
alimenta a claridade,
semente de luz vestida.
Destrava as portas antigas
retona do breu e aflora.
A vida passa tão breve
no descompasso das horas.

Marilia Abduani

3 Comentários:

joão disse...

Ola, Marilia
estou te seguindo
rsrs
um beijo minha querida
estou vendo e gostando muito

shintoni disse...

Marília:
Felizmente agora podem ser incluídos comentários em seu blog, que sigo há tanto tempo.
Não sei se você se recorda de mim.
Sou shintoni, do blog Duelos Literários, que pediu para publicar poesias suas lá.
Pois bem, passei para dizer que hoje foi postado no Duelos o poema Separação, tão belo como todos os outros seus que nos embelezam os dias por lá.
Agradeço muito a sua disponibilidade e generosidade em dividir suas maravilhas com os amigos do Duelos.
Um enorme abraço, parabéns pelo novo layout (embora a figura anterior fosse lindíssima!...) e ótima semana!

shintoni disse...

Cara Marília:
Hoje postei, no Duelos Literários, seu lindo poema "Tempo".
Valeu mesmo!
Abração e ótima semana!

Postar um comentário

 
Pelo Estreito Corredor do Tempo © Copyright | Template By Mundo Blogger |